Ator Kevin Costner fala sobre sua fé: 'A igreja sempre fez parte da minha vida’

  • 03/07/2024
Ator Kevin Costner fala sobre sua fé: 'A igreja sempre fez parte da minha vida’
Ator Kevin Costner fala sobre sua fé: 'A igreja sempre fez parte da minha vida’ (Foto: Reprodução)

O diretor e ator Kevin Costner recentemente compartilhou como a fé, da qual ele compartilha, desempenhou um papel fundamental na criação de seu novo filme "Horizon: Uma saga americana".

Ao criar “Horizon”, um épico ocidental abrangente que explora a história da fronteira americana, Costner estava ciente de que não podia retratar as histórias dos colonos sem destacar o papel crucial que a fé desempenhou em suas jornadas frequentemente turbulentas.

Em uma entrevista ao The Christian Post, Costner, de 69 anos, destacou a importância da fé na jornada para o desconhecido:

"A fé foi o que guiou as pessoas para o desconhecido. Elas se apoiaram nisso. Havia uma promessa, mas a promessa sozinha não bastava. Era necessário seguir com fé. E as pessoas levaram sua religião consigo para o Oeste."

O ator e diretor vencedor do Oscar reconheceu que a fé era a força motriz que guiava essas pessoas através das adversidades e incertezas do desconhecido, influenciando profundamente suas decisões e destinos.

Fé e igreja

Costner também falou sobre sua própria fé e ligação que tem com a igreja desde cedo.

"Eu cresci como batista e a igreja sempre fez parte da minha vida, minha avó, tudo isso, então não me importo que isso acabe se infiltrando em um filme", disse o ator.

"Eu não forço isso. Mas quando penso no motivo pelo qual as pessoas foram para o oeste, quando se despediram das pessoas no Leste, elas nunca mais as viram. Havia algum tipo de confiança em que as pessoas precisavam se apoiar, porque frequentemente se encontravam em situações em que nem sabiam o que estavam fazendo. Elas estavam fora de controle, precisavam de fé."

Horizon

O filme tem três horas de duração. O primeiro, de uma série de quatro partes, é estrelado por Kevin Costner, Sienna Miller, Sam Worthington e Luke Wilson.

A primeira parte foi lançada nos cinemas dos EUA no final de junho, seguida por "Horizon: An American Saga - Capítulo 2" em 12 de agosto. O lançamento do terceiro filme está programado para 2025.

Filmado em Moab, em Utah, e ambientado no tumultuado cenário da Guerra Civil de 1861 a 1865, “Horizon” captura a intensa paisagem emocional de uma nação dividida.

A narrativa é vista através das vidas interconectadas de famílias, amigos e adversários, que lutam para definir o verdadeiro significado de ser os Estados Unidos da América.

Para Costner, este é um projeto de paixão, no qual ele tem trabalhado desde os anos 80, investindo até US$ 38 milhões de seu próprio dinheiro. Em entrevista ao The Christian Post, o ator revelou que o longo processo de criação exigiu uma crença firme de que o filme se concretizaria em seu próprio tempo.

"Com certeza, já tive mãos me guiando na minha vida, e, como qualquer pessoa, eu tento forçar as coisas," disse o ator de "Yellowstone".

"Eu tento fazer as coisas acontecerem pela força de vontade, e consegui fazer isso muitas vezes na minha vida. Mas também descobri que as coisas acontecem no seu próprio tempo. Acho que foi assim que minha carreira se desenvolveu, para ser honesto. Tudo a seu tempo, eu não explodi na cena como um adolescente. Demorei um pouco. Então, confio na minha jornada."

Influência da fé

Apesar de o filme retratar o início da colonização na região, com violência e cenas sangrentas, Costner enfatizou a profunda influência que a fé e a família tinham na narrativa.

Versículos bíblicos são sutilmente incorporados ao longo do filme, frequentemente citados pelos personagens em momentos de provação.

Em uma cena, um colono recita o Salmo 23:5 - “Preparas um banquete para mim à vista dos meus inimigos. Tu me honras, ungindo a minha cabeça com óleo; e fazes transbordar o meu cálice.”

"Eu queria que as Escrituras obviamente se relacionassem com a situação," disse Costner.

O filme também destaca a nobreza e a força presentes nas famílias, destacando o papel vital que desempenham na construção de uma sociedade próspera.

Costner, pai de sete filhos, afirmou ao The Christian Post que esse tema é especialmente querido para ele. Seu filho mais novo, Hayes, de 15 anos, faz uma aparição no filme de seu pai, interpretando Nathaniel Kittredge.

Enraizado na crença de que “a violência e a humanidade podem andar juntas”, Costner disse que espera que o público, apesar da classificação restrita pelas cenas de violência do filme, se sinta compelido a compartilhar a história com as gerações mais jovens.

“Eu acho que muitas pessoas vão dizer: ‘Eu vou trazer meu filho e minha filha porque eles precisam entender o que suas bisavós e avós passaram'”, disse ele.

"Este filme tem violência, mas também tem nobreza e um senso do porquê a família é importante. Quando ela se despede de seu filho, ela tem fé de que estará com ele novamente. Violência e humanidade podem coexistir. Minha esperança é que, apesar de ser classificado como R (restrição), muitas pessoas digam: 'Sinto que minha filha deve ver isso.'"

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/noticias/ator-kevin-costner-fala-sobre-sua-fe-igreja-sempre-fez-parte-da-minha-vida.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Anunciantes